segunda-feira, 30 de abril de 2012

Arcebispo motiva jovens a serem protagonistas no Ano da Fé


O presidente da Comissão Episcopal Pastoral para Doutrina da Fé, da CNBB, e arcebispo de Brasília (DF), dom Sérgio da Rocha afirmou que o ano da Fé será uma grande oportunidade para juventude assumir seu protagonismo na Igreja. A declaração foi feita em entrevista ao site Jovens Conectados, durante a 50ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, que acontece entre os dias 18 e 25, em Aparecida (SP).
Ele destacou que o Ano da Fé, convocado pelo papa Bento XVI, através da carta Porta Fidei, é marcado pela 50 anos da abertura do Concílio Vaticano II e o 20º aniversário da promulgação do Catecismo da Igreja Católica (CIC). Ano da Fé terá início no dia 11 de outubro deste ano e se concluirá em 24 de novembro de 2013, ocasião da Festa de Cristo Rei. Na mesma data de sua abertura começam os trabalhos da Assembleia Geral do Sínodo dos Bispos, que terá como tema "A nova evangelização e transmissão da Fé".
"O da Fé representa uma grande ocasião de renovado encontro com Jesus Cristo", afirmou, dom Sérgio da Rocha, mencionando, ainda, que com o Ano da Fé, o papa quer colocar no centro da atenção da Igreja a vivência e a beleza da fé. "O Ano da Fé quer contribuir para uma renovada conversão, vivência e para uma redescoberta da fé".
No Brasil também estão sendo preparadas uma série de iniciativas para o Ano da Fé, especialmente dando destaque para os documentos do Concílio Vaticano II e do próprio catecismo, que, segundo os bispos, precisam ser mais conhecidos pelo povo.
Neste sentido, dom Sérgio reforçou a preocupação dos bispos do Brasil em evangelizar a juventude também a partir do Ano da Fé. Ele destacou que a própria Jornada Mundial da Juventude (JMJ) irá acontecer nesse preíodo. "O grande esforço que tem ocorrido no Brasil hoje é de motivar a própria juventude a participar desse processo de evangelização, isto é, os jovens evangelizando os jovens". Para isso, no ano passado, foi lançada uma versão do catecismo voltada para os jovens, o YouCat.
Segundo o arcebispo, até mesmo para a produção de materiais de evangelização, "não bastam especialistas em Sagrada Escritura ou no catecismo, que têm uma contribuição fundamental". "Precisamos dos jovens envolvidos nesse processo, colaborando com sua criatividade", disse, informando que a CNBB pretende publicar materiais adaptados não apenas para os jovens como também para as crianças. "Que no Ano da Fé, a juventude se sinta mais protagonista no presente da Igreja e da sociedade", concluiu.
Por Fernando Geronazzo

domingo, 22 de abril de 2012

Estamos NO AR



Voltamos a nossa programação normal!
E hoje programação especial de Micareta! Músicas para louvar ao Senhor!!! 


Banda Alto Louvor, Banda Dominus, Jake e muito mais!
Venha curtir com a gente!!

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Rádio Fora do AR


Devido a problemas técnicos, nossa rádio estará fora do ar hoje!! Estamos tentando resolver o problema!!
Esperamos amanhã estarmos de novo NO AR, levando muita música boa pra vocês!!

quarta-feira, 11 de abril de 2012

ESCOLHA A VIDA


O Supremo Tribunal Federal está prestes a julgar uma das causas mais polêmicas que habitam seus escaninhos: o aborto de meroanencefalia (meros = parte), comumente denominado anencéfalo. E esta polêmica se justifica pelo fato de que este tema envolve aspectos médicos, jurídicos, sociais e culturais.
 
Além disso, as decisões que aqueles que têm a responsabilidade de bem interpretar a “Constituição Cidadã” terão consequências na história, na compreensão do valor que uma sociedade dá à vida. Realmente é uma gravíssima situação.
 
Primeiramente, vale esclarecer que a anencefalia é caracterizada pela ausência dos ossos do crânio, com exceção do osso frontal, com má formação (ou ausência) dos hemisférios cerebrais.  A criança nasce com vida, contudo, há curta expectativa de vida extrauterina, embora se tenha notícias de maior durabilidade em alguns casos.
 
E aqui reside um aspecto relevante para a abordagem do assunto. O anencéfalo possui vida porque há atividade encefálica, atividade esta que deve cessar para que seja declarada a morte do paciente. Além disso, a criança portadora de anencefalia apresenta atividade respiratória, inclusive sem uso de aparelhos, o que reforça a caracterização da vida.
 
Dessa forma, a antecipação do parto de anencéfalos, como tratado no processo em trâmite no STF, se assemelha ao aborto porque se abrevia a expectativa de vida do nascituro. A propósito, outro aspecto importante é que o ordenamento jurídico pátrio atribui personalidade civil e direitos ao nascituro, como preceitua o Código Civil Brasileiro. Portanto, a legislação brasileira não permite que esses direitos sejam cessados por ato voluntário e arbitrário de quem quer que seja, sob pena de se sujeitar às sanções penais.
 
Na mesma linha corroborada pelo Código Civil, a própria Constituição Federal enuncia a vida como um direito fundamental, como esculpido no “caput” do artigo 5º. E é fato que nos casos de anencefalia há vida intrauterina, a qual, repise-se, não pode ser cessada ou abreviada por circunstâncias arbitrárias.
 
Também a Convenção sobre os Direitos da Criança reconhece a necessidade de proteção legal à criança, antes e depois do nascimento, amparando a vida intrauterina, característica nos casos de anencéfalos. Com efeito, a antecipação do parto dessa natureza se distancia da proteção à criança, de que trata essa Convenção.
 
Finalmente, é importante ressaltar que a curta expectativa de vida não permite se dispor dos demais direitos do anencéfalo, inclusive o direito à vida, como estabelecido pela Carta Magna. Dessa forma, por todos esses motivos, a antecipação do parto de anencéfalos se distancia de todas as bases e parâmetros sobre os quais foram construídas as normas que regem o Estado Democrático de Direito.
 
Mesmo sabendo que nem tudo aquilo que é legal é moral, colocamos diante da sociedade a preocupação com o direcionamento que tem sido dado à sociedade em certos tipos de legislação que, sem dúvida, terá consequências históricas em nossa cultura. A opção por uma cultura de morte ou de vida vai depender dessas decisões.
 
Olhamos com carinho para as mães que sabemos acabam entrando nessa história levadas pelas pressões atuais, e acabam sofrendo muito mais com esse atentado em suas vidas.
 
Para nós, cristãos e católicos, será triste ver vencer uma cultura de morte justamente na semana da oitava da Páscoa, quando falamos e anunciamos exatamente o contrário – a vida que vence a morte!
 
Espero que uma história bem imparcial julgue, no futuro, os passos que hoje estão direcionando nossa sociedade.
 
 
Dom Orani João Tempesta, O. Cist.
Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ

 

Fonte: Pastoral da Comunicação da Paróquia Senhor dos Passos
 

domingo, 8 de abril de 2012

Bento XVI celebra Missa da Ressurreição diante de 100 mil pessoas

Cidade do Vaticano, 8 abr (EFE).- Cerca de 100 mil fiéis, segundo estimativas do Vaticano, assistem na Praça de São Pedro à missa solene do Domingo da Ressurreição, que é celebrada pelo papa Bento XVI.
Depois da missa, o pontífice lerá a Mensagem de Páscoa e dividirá a bênção 'Urbi et Orbi', à cidade de Roma e a todo o mundo.
Bento XVI, de quase 85 anos, concelebra a missa com o cardeal Jean-Louis Tauran. Ao rito, que começou com o canto do 'Resurrexit', assistem várias centenas de purpurados, bispos e sacerdotes.
Como acontece desde o ano de 2000, quando foi recuperada uma tradição perdida havia 800 anos, no altar está colocada a imagem do Santíssimo Salvador, conhecida como 'Acheropita' (que significa não pintada por mãos humanas).
Trata-se de um dos ícones mais venerados da cristandade e que se conserva na capela de 'Sancta Sanctorum', existente no edifício anexo à Basílica de São João de Latrão, onde está a Escada Santa que, segundo a tradição, Jesus subiu durante sua paixão.
Antes de começar a missa, Bento XVI orou por alguns minutos em frente à imagem do Santíssimo Salvador.
A Praça de São Pedro está enfeitada com 45 mil flores multicolores, entre elas rosas, cravos, lírios e tulipas, além de rododendros, azaleias, magnólias, narcisos e jacintos, todas elas procedentes, como já é tradição, da Holanda.
Também está adornada com duas oliveiras centenárias trazidas da região italiana de Apúlia.
A Mensagem de Páscoa porá fim aos ritos da Semana Santa. O papa deverá passar a segunda-feira de Páscoa, que é dia festivo no Vaticano e na Itália, no Palácio Apostólico de Castel Gandolfo, ao sul de Roma.
Copyright (c) Agencia EFE, S.A. 2010, todos os direitos reservados
Fonte: EFE Brasil

sábado, 7 de abril de 2012

PAPA RECEBE MINIATURA DO CRISTO REDENTOR

Bento XVI recebeu neste domingo uma miniatura da estátua do Cristo Redentor. A réplica foi entregue, após a Missa de Ramos celebrada na Praça de São Pedro, pelo Governador Sérgio Cabral, que disse ao Papa que o presente é “uma demonstração de que o povo do Rio de Janeiro está ansioso para recebê-lo em 2013”. 
Depois da visita de 2007 a São Paulo e Aparecida, Bento XVI irá ao estado pela primeira vez para a Jornada Mundial da Juventude Rio2013, evento que deverá reunir milhões de jovens de 23 a 28 de julho do ano que vem.
Além da miniatura, uma cópia da estátua, de 3,8m, foi posicionada dentro do Vaticano, em um local do caminho que o Papa percorre em direção da Sala Paulo VI, onde concede as audiências-gerais. O governador estava acompanhado do Prefeito, Eduardo Paes, e do Secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame.
Segundo Paes, que conversou com o Papa sobre o calendário de grandes eventos no Rio de Janeiro, "o Papa fez um comentário muito especial: disse que o Rio vai receber os eventos mais importantes nos próximos anos, como a Copa e as Olimpíadas, mas nenhum será tão marcante para a cidade e também mais trabalhoso para organizar como a Jornada Mundial da Juventude. Concordei que será um momento muito especial para recebermos quatro milhões de jovens do mundo inteiro em uma grande celebração de fé e paz" – disse o Prefeito.
Por sua vez, o Governador disse ter mostrado a Bento XVI uma foto da família e pedido sua bênção a ela, ao povo do Rio de Janeiro e, especialmente, ao Presidente Lula: “O Papa ficou emocionado e disse que estava muito feliz em saber que o Presidente Lula havia sido curado do câncer. O Papa mandou um grande abraço ao povo brasileiro. Foi um momento muito especial que nos inspira e nos fortalece para fazer a maior, melhor e mais bonita de todas as Jornadas Mundiais da Juventude” – declarou Sérgio Cabral.
Domingo, na habitual oração mariana do Angelus, o Papa fez uma saudação especial em português ao Governador, ao Prefeito e ao Arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta. O Santo Padre também dirigiu um cumprimento especial a todos os peregrinos brasileiros e ao Comitê Organizador da JMJ 2013.
Fonte: Radio Vaticano
Foto: Marino Azevedo

IGREJA RECORDA 7 ANOS DO FALECIMENTO DO BEATO JOÃO PAULO II, CRIADOR E CO-PATRONO DAS JMJS

"Jovens de todos os continentes, não tenhais medo de ser os santos do novo milênio! Sede contemplativos e amantes da oração, coerentes com a vossa fé e generosos no serviço aos irmãos, membros vivos da Igreja e artífices de paz", dizia o Papa João Paulo II aos jovens na mensagem para a JMJ de Roma, em 2000, na celebração do grande jubileu. Durante a vigília daquela Jornada ele afirmou, em palavras que mais que nunca nos parecem atuais: "Na realidade, é Jesus quem buscais quando sonhais a felicidade; é Ele quem vos espera, quando nada do que encontrais vos satisfaz; Ele é a beleza que tanto vos atrai; é Ele quem vos provoca com aquela sede de radicalidade que não vos deixa ceder a compromissos; é Ele quem vos impele a depor as máscaras que tornam a vida falsa; é Ele quem vos lê no coração as decisões mais verdadeiras que outros quereriam sufocar. É Jesus quem suscita em vós o desejo de fazer da vossa vida algo de grande, a vontade de seguir um ideal, a recusa de vos deixardes submergir pela mediocridade, a coragem de vos empenhardes, com humildade e perseverança, no aperfeiçoamento de vós próprios e da sociedade, tornando-a mais humana e fraterna".
Há exatamente 7 anos atrás, Karol Wojtyla, o Papa João Paulo II, nascido em Wadowice (Polônia) em 1920 e eleito para a cátedra de Pedro no dia 16 de outubro de 1978, foi chamado à casa do Pai. Suas mensagens, discursos, homilias, e tantos outros escritos calam fundo ao coração da Igreja, mas de modo particular ao coração dos jovens que aprenderam a amá-lo e abraçaram com ele o grande passo de evangelização que é dado através das JMJs.
O Papa polonês foi beatificado pelo seu Sucessor, Bento XVI, no dia 1 de maio de 2011 e hoje é Co-patrono das Jornadas Mundiais da Juventude, iniciadas em seu pontificado.  Entre os seus principais documentos deixados pelo vasto legado deste Sumo Pontífice, contam-se 14 encíclicas, 15 exortações apostólicas, 11 constituições apostólicas e 45 cartas apostólicas; além de ter realizado 104 viagens internacionais, incluindo três visitas a Portugal e 4 visitas ao Brasil. A última delas para o congresso mundial das famílias em 1997 no Rio de Janeiro, que será o palco para a próxima JMJ em 213. O beato Papa João Paulo celebrou 147 ritos de beatificação, nos quais proclamou 1338 beatos, e 51 atos de canonização, correspondendo a um total de 482 santos. 

A causa de canonização 
Segundo o Monsenhor Slawomir Oder, postulador da Causa de canonização do recordado pontífice, o processo está dependente da confirmação de um “novo milagre” para que se possa concluir.O padre Slawomir Oder, postulador da Causa, disse à Rádio Vaticano que têm chegado “numerosas indicações de graças atribuídas ao beato João Paulo II e algumas são, seguramente, interessantes”. “De momento, espero pela documentação para poder dar início a um estudo mais aprofundado [dos casos] e fazer um bom discernimento”, acrescenta o postulador da causa à RV.

A beatificação, que é a penúltima etapa para a declaração da santidade de um católico teve início em maio de 2005, após a dispensa oferecida por Bento XVI do tempo de espera de 5 anos após a morte do candidato para iniciar estes trabalhos. O milagre que fez possível a beatificação do Papa Wojtyla foi a cura de uma religiosa francesa que sofria de Parkinson, o mesmo mal que afligiu o Papa Wojtyla nos seus últimos anos de vida.
Segundo recorda hoje a nota da Rádio Vaticano, de acordo com as atuais regras da Igreja, para a canonização é necessário um novo milagre atribuível à intercessão do beato João Paulo II a partir da data da beatificação.Concluídas estão, em definitivo, as investigações sobre as chamadas “fama de santidade” e “virtudes heroicas” de Karol Wojtyla, eleito Papa em outubro de 1978. 

Por Rafael Tavares (ACI Digital) e Renata Rodrigues

Vigília Pascal!!

Celebração da Luz!!
Eis a Luz de Cristo.
Demos graças a Deus!!